quarta-feira, 7 de novembro de 2012

MYSTIC FAIR




 
 
A MYSTIC FAIR é uma feira mística que oferece ao público as novidades dos setores paracientíficos, alternativos, esotéricos e ocultistas com stands que trazem as principais inovações comerciais existentes neste mercado. Esse evento possui um programa de conferências e palestras gratuitas, realizadas por profissionais de renome, além de associações e consultórios
 que oferecem seus produtos e serviços profissionais aos participantes.
 Na  MYSTIC FAIR, o participante, também encontra objetos de decoração e bijuterias como os
produtos produzidas pelo Centro de Cultura Cerâmica.
 
 
 

UMA DE MINHAS OBRAS ESTEVE EM PARIS

 
 
 


segunda-feira, 10 de setembro de 2012

9ª CERÂMICA & ARTE



O CCC estará presente nessa exposição juntamente com
Renata Sparapan e Finarte.

 

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

ATELIER TERRA E ARTE NO FEICCAD 2012

 
 
 
 Meus amigos Fausto e Néia, proprietários do Ateliê Terra e Arte, irão participar da FEICCAD na cidade Jundiaí, com produtos cerâmicos destinados a decoração. Tenho certeza de que farão um enorme sucesso. Certamente, irei prestigiá-los.
Vocês irão?
 

sábado, 18 de agosto de 2012

MÁ FERREIRA NO ESPAÇO CULTURAL DA INFRAERO


A ceramista Má Ferreira participa da exposição coletiva
 Universo da Arte no Espaço Cultural da Infraero.



quarta-feira, 15 de agosto de 2012

"JORGE SEMPRE AMADO" EM HELSINKI


Com o objetivo de divulgar a cultura brasileira na Finlândia
e nos países nórdicos, a Associação de Intercâmbio Cultural
 Arte Vida Artee o Instituto Cultural Nórdico Brasil Finlândia, 
com o apoio da Embaixada do Brasil
em Helsinki, realizam a Exposição "Jorge Sempre Amado", 
com a curadoria de Edson Cardoso.

Veja a relação dos artistas participantes no site: www.jorgesempreamado.com.br






Entre os artistas brasileiros que participam, está minha amiga Zaza Jardim. Foi ela que me incentivou a participar de exposições, e juntas, participamos do Prêmio Tarsila do Amaral de Arte Contemporânea 2011 e do Art Shopping - Carrousel du Louvre
 em Paris 2012.
 O trabalho de Zaza é especial, com polpas de livros antigos, jornais,  plantas secas e outros materiais, ela desenvolve uma reciclagem própriamente dita,  pois atenta as questões ambientais,
 não usa cola e utiliza tintas naturais elaboradas por ela própria.
O resultado de todo o processo é um papel denso e texturizado,
 que por sua vez, dá leveza e harmonia a sua obra. 
Zaza diz que sua obra é minimalista. 
Assim, tendo o minimalismo como base o uso de poucos elementos fundamentais como base de expressão, 
não podemos negar que 
" o mínimo é o máximo" e "o simples é um luxo".



Zaza e uma de suas criações.






domingo, 5 de agosto de 2012

O CCC NO CONTAF 2012

O objetivo de todo o ceramista não é apenas o reconhecimento artístico, mas também, vender seus produtos ou serviços. Mas para que isso ocorra, é necessário estar no local certo, buscando o seu público alvo. Eventos como o CONTAF ajudam, não apenas a divulgar , mas a extreitar laços de amizade e parceria.





Organização do stand.


Estreitando laços. Aurora e eu.


Laços bem apertadinhos, Má Ferreira (ceramista)
 e Liesel Triska (fotógrafa e artista plástica)

Eu, Liessel e Má


Eu, Xinia Marin, Peter King e Má Ferreira.


Xinia e Peter, uma dupla dinâmica.


terça-feira, 24 de julho de 2012

CONTAF

Mais uma vez o CONTAF será realizado em São Paulo no bairro da Liberdade na Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social . As inscrições pela internet já estão encerradas, mas as inscrições podem ser realizadas no local.

O CCC- Centro de Cultura Cerâmica estará presente no evento expondo e vendendo alguns de seus produtos. Na oportunidade, estará lançando uma coleção de bijuterias cerâmicas cujo estilo incorpora a beleza e a variedade dos esmaltes cerâmicos nacionais. O CCC conta com o apoio de TINTAS FINARTE e de Artística - Atelier de Cerâmica de Renata Sparapan.

Maiores informações:

CONTAF
(11) 5594-5184
(11) 5071-0011


Bunkyo - Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social
Rua São Joaquim, 381 - Liberdade
01508-900 - São Paulo - SP - Brasil
(11) 3208 - 1755
www.bunkyo.org.br

sexta-feira, 20 de julho de 2012

O SIM A GENTE CONQUISTA

Hoje, minha amiga Má Ferreira, ficou um pouco triste ao saber que uma de suas obras não foi selecionada para uma exposição. Mas eu sei como é isso, no ano passado tive uma de minhas obras rejeitada em uma exposição. É muito estranho, nos sentimos pequenos, com a sensação de que todo nosso esforço foi em vão. Mas,  tudo isso passa rápido, pois, nossa vontade de fazer o melhor é tanta que voltamos a produzir mais e mais, com toda energia e muita criatividade.

Sempre que algo não dá certo comigo lembro-me da história de vida de Eliana Zagui ( aquela moça que mora desde pequenina no Hospital das Clínicas) e de sua frase inesquecível:

  " O  não é sempre certo na vida da gente. Porque não aprender a conquistar o sim?
O sim é uma conquista."

A Má é ceramista e ainda continua tendo aulas comigo, é um exemplo de dedicação. O carinho que tem pelo seu trabalho, sua força de vontade é tão visível que me emociona.

Ela gosta de pratos... procuro explicação para isso. Será que é porque ela gosta de servir? Servir aos amigos, aos familiares aos desconhecidos? Acho que essa pode ser uma explicação, pois, a Má é generosa, caridosa, gosta de ajudar, gosta de compartilhar suas alegrias, é engraçada, sincera e emotiva.

"Quem não vive para servir, não serve para viver" (Teresa de Calcutá)

Não preciso de mais palavras para descrever o talento e a determinação dessa artista, as imagens bastam...















Má, eu digo SIM para você minha querida amiga.
Feliz dia do amigo!


Aliás, se vocês procuram inspiração para viver ,  trabalhar e criar,  indico o Portal de Eliana Zagui : http://www.apbp.com.br/elianazagui/ 


E o blog da Mà é  Arte em Cerâmica   mdfbf.blogspot.com



/



segunda-feira, 2 de julho de 2012

DIA DO HOSPITAL?


Em junho, escolhi o dia dos namorados como uma data a ser homenageada em meu blog. Aproveitei a oportunidade para contar sobre o relacionamento de Camille Claudel e Rodin.

No mês de julho, também se comemora muitas coisas bacanas: Dia da Vacina BCG, Dia do Bombeiro Brasileiro, Dia da Independência dos EUA, do Panificador, do Cantor, do Rock, da Caridade , do Futebol, do Colono, do Escritor e muitos outros. Dentre tantas datas importantes o dia 02 de julho - Dia do Hospital, foi o que mais me chamou atenção, vez que me lembra a dor, a tristeza, a loucura, a morte... Pensei então, na história de vários artistas que tiveram suas vidas marcadas pela dor ou pela loucura e optei pela história pouco conhecida da pintora Seráphine  Louis.

Seráphine Louis, também conhecida por Seráphine de Senlis , nasceu em 1864 numa pequena localidade da França. Era de família muito humilde, perdeu seus pais ainda muito criança, tendo sido criada pela irmã mais velha.

Trabalhou inicialmente como pastora e depois como empregada, atividade que desempenhou até 1901. Após essa data, passou a trabalhar como doméstica nas casas de Senlis. Segundo alguns historiadores, em 1912, trabalhando em uma dessas casas é que Seráphine conheceu o colecionador Wilhem Uhde, primeiro comprador de Picasso e responsável pela descoberta de Douanier Rousseau. Foi ele que após encantar-se com uma de suas telas, encorajou-a a lutar pela carreira artística. Nessa época Seráphine tinha 48 anos (algumas pesquisas contam como 41 anos).


Sua obra versa sobre motivos vegetais: flores, folhas, árvores e frutos. Agumas assinadas como Séraphine Louis , outras,  como Séraphine de Senlis.




 Seraphine , nunca teve aulas de pintura, tampouco frequentou o meio artístico de sua época.  Fazia suas próprias tintas com terra, sangue e outros materiais orgânicos  e muitas vezes, também produzia suas próprias telas. Sua obra foi qualificada como Arte Naif da primeira metade do séc. XX


Seráphine ganhou algum dinheiro com suas obras, mas em 1930, depois de fazer apenas três exposições, Uhde parou de comprar seus quadros em consequencia da Grande Depressão. Seráphine foi dominada pela loucura, sendo internada num hospício. Tempo depois, Uhde providenciou sua mudança para uma clínica psiquiátrica com melhores condições, onde Seráphine veio a morrer  em 1942.  E, como Camille Claudel, sozinha e sem amigos.




Pra quem quiser saber um pouquinho mais sobre essa artista, sujiro o filme Seráphine, 2009, de Martin Provost, que tem em seu papel principal a atriz Yolande Moreau. Uma obra cinematográfica aclamada pelos críticos e pelo público e vencedora de 7 Prêmios.




Yolande Moreau




Apesar de meu blog ser dedicado à arte cerâmica, não poderia deixar de contar mais esta história, vez que muitos seguidores e amigos gostaram da dramática história de Camille.

Que loucura! (Espero não acabar como elas.)

Querem um pouco mais de emoção, paixão e dor? Eis aqui uma lista de filmes biográficos de artistas plásticos:


1. A Moça do Brinco de Pérola - uma jovem camponesa que serviu de modelo para o pintor expressionista Johannes Vermeer,.

2.  Basquiat (interpretado por David Bowie).

3. Pollock  - um artista que entra num comportamento num comportamento auto-destrutivo.

4. Caravaggio - um dos maiores pintores do renascimento. 

6. Agonia e Êxtase (biografia de Michelângelo, dirigida por Carol Reed )

8. Little Ashes [Little Ashes ] (2008). Sobre a revolução cultural espanhola.

9.. Van Gogh.

10. Vincent e Theo. Arelação de amor e ódio, entre o pintor holandês Vincent Van Gogh e seu Theo.


11. Sede de Viver.  a vida do mestre da pintura: Van Gogh. 
 


12. .Moulin Rouge (dirigido por John Huston )

13. Os Amores de Picasso,

14. A Vida de Leonardo da Vinci.

15. O Mestre da Vida.- (Sobre John Talia Jr.)

16. Rembrandt.

17.. Meu Pé Esquerdo. ( História de Christy Brown (interpretado por Daniel Day)
18. Modigliani.

19. Klimt.

20. Sombras de Goya. 
 

quarta-feira, 6 de junho de 2012

JUNHO – MÊS DOS NAMORADOS


Não há uma melhor época , senão o mês de junho, para relembrar-mos o romance de Camille Claudel e Auguste Rodin.

Camille e Rodin

Camille descobriu ainda criança o gosto pela escultura. Seu pai  acreditava muito em sua vocação, tanto que,  em 1881 levou toda a família à Paris para que a filha pudesse ter maiores oportunidades, numa época em que a  escultura era uma atividade reservada aos homens.
Camille, alugou um ateliê com mais três jovens artistas, uma delas, Jessie Lipscomb, tornou-se sua melhor amiga. Tiveram aulas com o professor Alfred Boucher, que as orientava de vez em quando. Foi numa dessas visitas que Boucher apresentou o trabalho de Camille para Paul Dubois, diretor da Escola Nacional de Belas-Artes. Foi através dele que Camille conheceu Rodin, na época ela tinha 19 anos , Rodin, 45.
 Camille


Rodin

Rodin frequentava o ateliê de Camillle  e, depois de algum tempo, chamou-a para trabalhar com ele. Não se sabe ao certo quando a convivência entre o mestre e a aluna se tornou um romance, mas as cartas que trocavam em 1886 revelam a paixão e o ciúme que Camille, desde o início, nutria por seu mestre.
                                                                                                                                              
Rodin já era casado,  mesmo assim, alugou uma casa para Camille morar e onde pudessem se encontrar. A relação assumida tornou-se um escândalo para a época. Nesse período,  tanto as obras de Rodin, como as de Camille, foram marcadas pelo forte apelo sensual.

The Kiss de Rodin

Com o passar do tempo, Camille começou a se sentir sozinha, pois Rodin pouco aparecia.
Em 1892, Camille sofreu um aborto. Não se sabe se foi  espontâneo, mas o fato a abalou por demasia, afastou-se de Rodin e  longe do amante passou a criar sua própria arte , mas ainda carregada de força e sensualidade como as obras de Rodin. Infelizmente, o preconceito contra a mulher artista impedia o reconhecimento de suas obras, talvez, esse tenha sido um dos motivos pelo qual foi excluída dos grandes nomes da história da arte. 
                                                                          

La Valse - Camille Claudel

 Após um rompimento definitivo com Rodin , Camille passou a viver trancada em seu estúdio, cercada por seus gatos. Com  problemas financeiros e em depressão passou a beber. Achava que Rodin queria prejudicá-la, destruir sua carreira. Em 1906 concluiu sua última obra e depois passou a destruí-las.   Algumas obras  como "Sakountala" (O Abandono) e  "A Implorante" ficaram ilesas e nelas podemos ver impregnados sentimentos de dor e desespero. Sua obra parece contar a sua história de amor.

                                                                                                            
SAKOUNTALA - Camille Claudel

Sem dinheiro e doente , em  1913, a família de Camille fez com que ela fosse levada à força para um hospício. Lá viveu até os 79 anos (1943), pobre e sozinha.

Essa  é a história de uma mulher  atormentada por um amor impossível,  de uma mulher  renegada pela própria família , mas que amou, amou intensamente  e acabou esquecida por todos nós.  Afinal de contas, você já conhecia a história de Camille Claudel?  Se não conhece, procure pelo filme Camille Claudel, Bruno Nuytten, 1989, Baseado na biografia escrita por Raine-Marie, sobrinha-neta de Camille. É emocionante!


 
Desejo a todos os namorados, amantes e amigos, um final muito mais feliz.

Beijos da Pris.



terça-feira, 8 de maio de 2012

PIETÁ - PARA TODAS AS MÃES.


A Pietá é a mais perfeita visão de anatomia humana. A verdadeira representação do amor materno. Foi esculpida por Michelangelo aos 23 anos de idade. A encomenda foi feita por Jean Bilhères de Lagraulas, cardeal francês no papado de Alexandre VI, que pretendia colocá-la em seu memorial. Apesar da conclusão da obra ter durado apenas um ano, o cardeal faleceu antes de vê-la pronta.
 Hoje , Pietá se encontra na Basílica de São Pedro no Vaticano, ao lado direito de quem entra na igreja, cercada por uma redoma de vidro, pois, em 1972, um homem entrou na igreja de São Pedro e golpeou com um martelo a cabeça da virgem, atingindo de cheio o olho esquerdo e a ponta do nariz.
Apesar da redoma, é possível ver a polidez do mármore realçando sua beleza, a delicadeza e a doçura da virgem.


A perfeição da escultura encanta leigos e estudiosos. A forma como o artista compôs a imagem de Jesus no colo da virgem, nos dá a idéia da ligação entre mãe e filho.
Talvez, certo de que essa seria a sua maior obra, o jovem artista assinou na  fita que atravessa o peito da Virgem Maria: MICHAEL ANGELUS. BONAROTUS. FLORENT. FACIEBA(T), ou seja, «Miguel Angelorotus de Florença fez.»


PIETÁ , MINHA MUSA INSPIRADORA...


"Pietá" - Óleo sobre tela - 2008
Pris Spaluto

"Jesus"- Óleo sobre tela - 2008
Pris Spaluto

"Pietá - Face III" - da Série Cristo Revelado
Cerâmica - 50 cm ­­ø
Pris Spaluto



sexta-feira, 27 de abril de 2012

DIA DAS MÃES




MAIS QUE UMA HOMENAGEM, UMA PROVA DE AMOR...

...esta música Roberto Carlos compôs em 1976 em homenagem à sua mãe e acabou sendo uma das canções que mais fazem sucesso fora do Brasil.

LADY LAURA
Tenho às vezes vontade de ser

Novamente um menino

E na hora do meu desespero

Gritar por você

Te pedir que me abrace

E me leve de volta pra casa

E me conte uma história bonita

E me faça dormir

Só queria ouvir sua voz

Me dizendo sorrindo

Aproveite o seu tempo

Você ainda é um menino

Apesar de distância e do tempo

Eu não posso esconder

Tudo isso eu às vezes preciso escutar de você

REFRÃO:

Lady Laura, me leve pra casa

Lady Laura, me conta uma história

Lady Laura, me faça dormir

Lady Laura!!!

Lady Laura, me leve pra casa

Lady Laura, me abrace forte

Lady Laura, me faça dormir

Lady Laura!!!

Quantas vezes me sinto perdido

No meio da noite

Com problemas e angústias

Que só gente grande é que tem

Me afagando os cabelos

Você certamente diria

Amanhã de manhã você vai se sair muito bem


Quando eu era criança

Podia chorar nos seus braços

E ouvir tanta coisa bonita

Na minha aflição

Nos momentos alegres

Sentado ao seu lado, eu sorria

E, nas horas difíceis

Podia apertar sua mão

REFRÃO:

Tenho às vezes vontade de ser

Novamente um menino

Muito embora você sempre acha que eu ainda sou

Toda vez que eu te abraço e te beijo

Sem nada dizer

Você diz tudo que eu preciso

Escutar de você....


terça-feira, 17 de abril de 2012

DICAS E CURIOSIDADES

1. ATADURA GESSADA

Uma opção legal para quem deseja começar a fazer esculturas sem muito custo, é iniciar com ataduras gessadas. Mas ,é necessário ficar atento à qualidade da atadura, as melhores possuem maior plasticidade, secagem  rápida e maior durabilidade.

modelo Athur Preto




O acabamento fica a critério do artista, decoração a base de tinta fria com uso de pincel ou tinta spray, colagem de papel ou tecido, pedrarias e outros.



Molde das mãos

Atadura gessada e arame
 Pris Spaluto

Atadura gessada, arame e madeira
Pris Spaluto

 Máscara de atadura, um processo rápido e barato para brincar no Carnaval. O chifre do diabinho fiz com uma rolha e pintei com tinta acrílica.








Máscaras da minha querida amiga
 e aluna Má Ferreira.

Abaixo, selecionei um trabalho de Joseph Cornell para mostrar que vale a pena brincar com a imaginação. A "assemblage" pode valorizar muito mais os seus trabalhos, seja ele de atadura gessada, argila , madeira ou até mesmo papel.


Assemblage de Joseph Cornell

2. ASSEMBLAGE
O termo assemblage é incorporado às artes em 1953, cunhado por Jean Dubuffet (1901 - 1985) para fazer referência a trabalhos que, segundo ele, "vão além das colagens". As assemblages tem como princípio  a "estética da acumulação", onde todo e qualquer tipo de material pode ser incorporado à obra de arte. O trabalho artístico visa romper definitivamente  as fronteiras entre arte e vida cotidiana; ruptura já ensaiada pelo dadaísmo, sobretudo pelo ready-made de Marcel Duchamp (1887 - 1968) e pelas obras Merz (1919), de Kurt Schwitters (1887 - 1948). A idéia forte que ancora as assemblages diz respeito à concepção de que os objetos díspares reunidos na obra, ainda que produzam um novo conjunto, não perdem o  sentido original. Menos que síntese, trata-se de justaposição de elementos, em que é possível identificar cada peça no interior do conjunto mais amplo.
As Assemblages foram também realizadas no interior do chamado Novo Realismo da década de 1960, que tem como princípio a utilização de imagens triviais do imaginário da sociedade de massas e objetos de uso cotidiano (cartazes publicitários, imagens cinematográficas, fotos de revistas, plásticos, luzes néon etc.), trabalhados com base na idéia de bricolagem. Destacam-se os nomes de Arman (1928), conhecido por suas assemblages de objetos descartados (Arteriosclerose, 1961, e Acumulação de Bules Partidos, 1964) e Domenico Rotella (1918), que trabalha com cartazes publicitários rasgados (O Asfalto na Noite, 1962). No Brasil, é possível localizar procedimentos próximos ao da assemblage em alguns trabalhos de Wesley Duke Lee (1931), Nelson Leirner (1932) e Rubens Gerchman (1942 - 2008) como O Rei do Mau Gosto (1966) - com tecido, vidro, asas de borboleta e tinta acrílica - Rochelle Costi (1961) - Toalha, Vegetais Mofados e Toalha, Flores Mortas (ambos de 1997) - e Leda Catunda (1961), Jardim das Vacas (1988) e Camisetas (1989).


O polêmico Demien Hirst o senhor da Assemblage e da Taxidermia. 

Muitas de suas criações são estranhas e causam arrepios.
Mas esta, não é tão macabra. Técnica similar pode ser utilizada sobre gesso, atadura gessada e até mesmo sobre cerâmica.

"As obras de arte dividem-se em duas categorias: as de que gosto e as de que não gosto.
Não conheço outro critério." (Anton Tchechov)

 
3. RESINA DE FIBRA DE VIDRO


Mother and Child
Ron Mueck

Obra de Ron Mueck, perfeita, tocante... dá até medo de tão real!
O látex era o material mais presente na criação de textura e o mais próximo possível da pele e do corpo humano. Porém, Mueck queria algo mais duro e mais preciso, passou então, a utilizar a resina de fibra de vidro e, desde então, essa tem sido a matéria-prima que serve de base à produção de todas as suas obras. Os pelos e os cabelos são naturais, colocados um por um. Simplesmente, bárbaro!